28 de julho de 2011

Os cavalos sabem falar



Os cavalos expressam-se através da sua linguagem corporal. A expressão do focinho, as orelhas permitem perceber se os cavalos são uma ameaça ou se estão apenas curiosos. Entre si os cavalos usam também a linguagem corporal, isto é, percebem se um deles está nervoso ou se é mais reservado, se um tem a cauda escondida entre as patas e o outro se passeia altivo e corajoso. Essa atitude revela a imponência do cavalo: endireita-se arqueando o pescoço, levantando a cabeça e arfando, e a seguir corre, num andamento de passos curtos e em suspensão ergue a cauda.
Os cavalos não relincham muito, fazem-no quando procuram outros cavalos. A partir do momento em que se cumprimentam começam a sussurrar num convívio amigável. Caso contrário, se estiverem excitados, sopram pelas narinas ouvindo-se muito bem. As fêmeas guincham também, especialmente na altura em que se encontram em cio. Os que vivem em contacto com pessoas relincham ou sussurram quando lhes é dada comida. 

As orelhas têm muito significado:
-orelhas arrebitam para frente: cavalo curioso e interessado
-orelhas meio atrás: o cavalo escuta algo que se passa atrás de si e tem medo
-orelhas encostastas à cabeça: o cavalo dorme
-orelhas para trás: atenção, afasta-se, esse cavalo está a ameaçar. 

Os animais de fuga contam essencialmente consigo mesmos para reconhecer com exatidão os inimigos. Para tal possuem olhos colocados lateralmente, que proporcionam uma visão quase circular, que lhes permite ver obliquamente o que se passa atrás. Um cavalo só não consegue ver bem o que está completamente atrás e o que está mesmo à frente do seu nariz.

Nenhum comentário:

Postar um comentário