1 de setembro de 2011

01 de setembro - Dia do Educador Físico


A profissão de educador físico é regulamentada no Brasil pela lei 9696/98 (setembro 1998), cabendo ao educador físico (diplomado em curso superior) agir em todos os campos do conhecimento nas áreas de atividades físicas e de desporto, intervindo, segundo propósitos educacionais, na saúde e no lazer.
É o único profissional apto a orientar, ministrar ou dinamizar atividades físicas e desportivas, no campo formal e não formal, conforme manifestadas nas ginásticas, esportes, treinos, jogos, danças, lutas, artes marciais, musculação, entre tantas outras
As brincadeiras que envolvem o movimento e também o raciocínio, escolha e tomada de decisões, são fundamentais para que a criança desenvolva plenamente suas habilidades básicas de andar, correr, saltar, arremessar, quicar uma bola, equilibrar, coordenar movimentos de tronco e membros, e também comece a desenvolver suas capacidades de resistência, força, flexibilidade.
Obviamente é impossível dissociar o movimento do sistema nervoso, o mesmo que também é responsável pelo pensamento, raciocínio, aprendizagem e inteligência. Dessa forma, quando executa movimentos e desenvolve suas habilidades, está na verdade aprimorando o sistema nervoso, sua capacidade de analisar os diversos estímulos sensoriais que recebe do ambiente e elaborar as respostas mais adequadas, enfim está aprendendo.
O educador físico atua na equoterapia com o objetivo de proporcionar as pessoas com necessidades especiais o desenvolvimento de suas potencialidades, respeitando seus limites e visando sua integração na sociedade, entretanto, melhorando seus aspectos biopsicossociais.
O profissional também contempla um programa de atividades físicas durante a Equoterapia, objetivando a melhora do equilíbrio, da coordenação motora, consciência corporal, da respiração e das capacidades cardiovasculares.
Contudo, cabe destacar também, a importância da Educação Física na Equoterapia, onde pode-se notar que a prática abrange grande parte das habilidades motoras fundamentais do indivíduo, juntamente com os aspectos biopsicossociais. Por fim, cabe ressaltar ainda, que a superação dos praticantes da Equoterapia depende fundamentalmente de uma atitude interdisciplinar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário