6 de setembro de 2011

Comunicação: Homem e Cavalo

Vaniele Foresti. Psicóloga do Centro de Equoterapia Clube de Cavaleiros "Professor Victorino Machado". Rio Claro-SP
Comunicação com o Homem
Parece correto afirmar, que o homem comunica inconscientemente com o cavalo, pelo odor que exala. Pessoas assustadas e agressivas libertam odores que revelam o seu estado de espírito ao equino hipersensível, tornando-o apreensivo ou agressivo.
O provérbio “Um homem confiante faz um cavalo confiante” é revelador da hipersensibilidade do animal. Os cavalos sentem o estado de espírito do cavaleiro e reagem com ele. Um cavalo ao ser montado consegue aperceber-se, se está a lidar com uma pessoa experiente ou não, em função dos estímulos que este lhe envia e que o cavalo recebe através das células receptoras que possui ao longo do seu dorso, e de todo o corpo. O homem procura comunicar ao apresentar-se pelo toque ou através de palmadinhas. O afagar é outra forma de comunicação com os cavalos e constrói uma relação entre os dois. O ato de tratamento é um exemplo, e quando se monta muitas das línguas de cooperação estão relacionadas com o tato. Por exemplo, a perna exerce pequenas pressões nas células receptoras do cavalo e a mão comunica pelo toque na boca, através de rédeas e freio. Alguns cavalos aprendem a atrair o homem relinchando alto, se a comida vem atrasada.

Comunicação entre Cavalos
O cavalo é um animal de manada e precisa comunicar com os outros membros da mesma. Claro que não tem discussões filosóficas. Necessitam apenas de transmitir emoções básicas e de estabelecer uma hierarquia de dominância sem recorrer à violência. Os cavalos domésticos tratam o homem como um elemento da manada, pelo que usam o mesmo tipo de linguagem corporal para conosco.

Essa linguagem corporal pode-se manifestar de várias formas:

Contentamentos
Sinais de Felicidade – Um cavalo satisfeito não se preocupa com os outros que se encontram a sua volta.

Impaciência
Movimentos de cabeça – Os cavalos não gostam de ser ignorados, podem exigir atenção dando um empurrão com o focinho.
Bater com os cascos – Um cavalo pode ficar impaciente quando espera pela comida ou quando está preso.

Aborrecimento
Dentadas nos outros cavalos -   A dentada significa apenas “a minha posição na hierarquia permite-me morder-te quando me apetecer”.
No estábulo – Se um cavalo quiser ser deixado em paz, vira as costas aos outros cavalos, “não quer conversa”.
Os cavalos comunicam vocalmente, relinchando por companheirismo ou por excitação.

Habituação
A aprendizagem também se pode processar através da habituação, que consiste na diminuição de tendências para responder aos estímulos que se tornam familiares, devido à exposição contínua aos mesmos.

Pode ser exemplificado do seguinte modo
Um cavalo quando e exposto a um ruído súbito assusta-se, mas se ruído for repetido, duas três vezes, o susto vai diminuindo gradualmente ate ser ignorado.
O mesmo acontece quando se prepara um cavalo, durante o processo de desbaste para ser montado. Primeiramente faz-se o aquecimento passando-o à guia, durante o qual se fazem vários movimentos repentinos, como levantar a mão para sacudir uma mosca, bater com o pé no chão etc…
A primeira vez que o cavalo presencia estes movimentos assusta-se, mas depois de serem repetidos várias vezes, já os consegue reconhecer como sendo familiares.
Os cavalos têm normalmente medo de água, pois não conseguem ver o chão através dela. Este tipo de medo envolve um processo mais delicado de aprendizagem. O cavalo tem de se sentir confiante, e o homem por sua vez tem de lhe mostrar que não existe nenhum mal com uma pequena poça de água e que não há motivo para ter medo.
No inicio, ao molhar as patas reage logo, acelerando o passo e até pode saltar, mostrando-se desconfiado, mas depois de muita insistência do homem e de recusa por parte do cavalo, acaba por passar sem receios.
O processo de habituação já se finalizou.
No que se refere à aprendizagem cognitiva, um cavalo adquire vários elementos de conhecimento ou cognições, que se organizam para serem utilizados.
O homem quando exercita um cavalo, ou seja, quando o passa á guia, ou por outras palavras, quando o submete a um teste de preparação física, aplica a voz, que o associa aos vários andamentos de cavalo.
 Homem - à Cavalo: 
Voz calma à Passo
Voz Alta e Firme à Trote
Voz mais alta e firme à Galope
Assobiar calmamente à Passo

Lembre-se: o cavalo aprende fazendo, e não de outro modo!


Nenhum comentário:

Postar um comentário