15 de setembro de 2011

O Estresse dos Cavalos


A vida dos nossos amigos nem sempre é tão tranquila quanto imaginamos. São vários os fatores que podem desencadear o estresse deles, o que certamente refletirá diretamente no seu desempenho.
O principal motivo é que nestas situações de estresse, ocorre a ativação do sistema nervoso central, resultando em um aumento da concentração do hormônio cortisol na corrente sanguínea do animal. Este aumento promoverá a depressão do sistema imune do cavalo, o que contribuirá para o aumento da susceptibilidade do animal à doenças.  Algumas das situações estressantes que mais fazem parte da vida de um equino são o treinamento, o transporte, variações bruscas e intensas na temperatura ambiente, o confinamento em baias e o conseqüente isolamento social.  Dentre estes, os três tipos mais comuns em equinos são: o estresse social, o estresse pelo transporte e o estresse térmico.
O manejo dos cavalos deve ser orientado para que o agente estressante não chegue a causar uma perda no rendimento. Isso pode ser feito através de alterações na forma como o animal percebe este agente ou utilizando alguns “modificadores” de forma mais intensa. Técnicas modernas de manejo, buscando a abolição da violência em todos os procedimentos realizados com eles visam habituar o animal com novos comandos, eliminando suas respostas negativas e reduzindo assim o risco de estresse.
Em situações onde um estresse não pode ser evitado, tal como no transporte ou no estresse térmico o cuidado deve ser redobrado a fim de prevenir suas consequências negativas à saúde e bem-estar destes animais. Assim como em seres humanos, devido ao estresse, os animais podem adoecer reduzir os índices reprodutivos, retardarem o desenvolvimento, além de apresentarem queda no desempenho atlética.
Para muitos animais que participam de eventos equestres e, até mesmo para reprodução, os transportes freqüentes fazem parte da sua vida. Embora alguns animais se adaptem bem, outros não se adaptam e a movimentação do animal de um local para outro se torna uma prática extremamente estressante. Os fatores relacionados ao transporte que contribuem para o estresse incluem fatores físicos como: confinamento, privação de alimento ou água, movimento do trailer ou caminhão, o ruído, as condições da estrada, o vento e etc.
Nestes casos, ainda podem estar envolvidos o estresse psicológico (separação do rebanho, exposição à ambientes e animais estranhos) além de fatores climáticos (temperatura e umidade do ar) e o estado de saúde do animal. Cavalos estressados pelo transporte são mais susceptíveis a doenças como a pneumonia, cólica, diarréia e laminite. Além disso, podem ter o metabolismo energético alterado, afetando a habilidade do cavalo em realizar um esforço atlético logo após o transporte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário