11 de outubro de 2011

Alongamento nos Cavalos


O alongamento pode ser usado como forma de reabilitação de uma lesão ou como forma de prevenção de futuras lesões, sendo que desta forma ele atinge sua máxima eficiência. O principio do alongamento tem como função reduzir a tensão muscular e aumentar a elasticidade e flexibilidade dos músculos, tendões e ligamentos diminuindo as chances de estiramentos durante o exercício. Além disto, ele também alivia a dor causada por espasmos musculares e lesões, melhora a forma de se movimentar uma vez que aumenta a variedade de movimento e ajuda na propriocepção, dando maior noção ao cavalo de seu corpo, facilitando assim a coordenação e equilíbrio.
Percebemos que o cavalo alongado é menos ansioso e conseqüentemente sua tensão muscular é reduzida. Como ele sente menos dor ao executar um movimento qualquer, produz menos reação contra movimento exigido. Ainda destaca-se entre os benefícios de alongamento uma melhora no conforto e condução do animal, aumentando também a capacidade de suportar carga. Existem duas formas de alongar um cavalo. O alongamento ativo, que é feito pelo próprio ginete montado guiando seu cavalo. E o Alongamento passivo, que é feito no animal através das mãos humanas, que proporciona uma gama maior de exercícios e movimentos. Também, usamos como forma de alongar, as reações automáticas de reflexo, que são utilizadas para induzir o alongamento em uma determinada área e na perda de algum movimento, forçando assim a noção de equilíbrio.

Cuidados para realizar alongamentos.
Tanto o alongamento ativo com o passivo requer muitos cuidados, porque se forem feitos de maneira incorreta, podem causar lesões. O excesso de alongamento pode ser tanto por hiper-flexão ou por hiper-extensão. É melhor sempre fazer menos do que mais. Se o animal estiver em período de repouso (recuperação), com alguma doença ou lesão, em pós-operatório, ou até mesmo com febre, devemos evitar alongar-lo. O profissional que realizará o trabalho deve ter domínio da direção a qual o animal deve ser alongado, assim como noções de anatomia, fisiologia e biomecânica, sempre adaptando a técnicas, as necessidades específicas de cada animal, o esporte no qual ele está envolvido, ou o problema de dor a ser solucionado.
Outro ponto importante para o alongamento é um aquecimento prévio, não é recomendado retirar-se o animal que passou horas em uma cocheira e iniciar um alongamento. Deve-se antes fazer um aquecimento e soltá-lo com alguns poucos minutos de passo, trote ou galope assim como no final do treinamento não é recomendado alongar após trinta minutos do término do exercício.

Prática do alongamento.
Para executar o alongamento, são exigidas algumas atitudes que devem ser levadas em conta. Postura do terapeuta: a pessoa deve estar calma e tranquila, pois o animal sente e percebe isto. Estabelecer um contato de aproximação, chegar de maneira correta no animal. Outro fator importante é a percepção de se o animal é visual ou auditivo, assim saberemos a melhor forma de fazer a aproximação e os cuidados que devem ser levados em consideração. Aprendizado de rotina: Somente com a experiência é que o terapeuta aprende a conhecer o animal, diferenciar um do outro e sentir até que ponto ele pode ser alongado, também perceber que o animal é único e quais problemas mais comuns sofridos pelos praticantes de cada modalidade. Movimento; Nunca se deve afetar o equilíbrio do cavalo. Ele só pode permanecer no apoio tripedal durante aproximadamente 15 segundos. Cada série de movimentos deve ser repetida três vezes na seqüência, sempre com uma pausa entre elas para descanso do animal. Se o cavalo não estiver relaxado e cooperando, de nada adiantará o alongamento.
Outro fator relevante é o terapeuta sempre respeitar os limites de cada animal para não desencadear o reflexo de proteção, oposto ao alongamento que será indesejável e anulará o trabalho já realizado. Os exercícios realizados no alongamento trabalham a musculatura de flexão, extensão, adução e abdução dos principais grupos musculares envolvidos na locomoção do eqüino.
Seja qual forma de terapia, se bem aplicada e adaptada de acordo com a situação que se encontra cada animal e ministrada por um profissional capacitado, poupará o eqüino de dor e sofrimento desnecessário, beneficiando o atleta, prolongando sua carreira e principalmente permitindo que ele realize seu trabalho com total desempenho. Em se tratando de um atleta, devemos evitar ao máximo que o animal tenha que parar por algum tempo ou mesmo encerrar sua carreira precocemente, muitas vezes por problemas simples que poderiam ser diagnosticado em seu princípio. Deve-se levar em conta que se o cavalo trabalhar com melhor qualidade seu desempenho certamente irá melhorar, e ele terá muito mais vitórias, com mais prazer e menos dor. Com certeza prevenir e aliviar suas dores é a melhor forma de carinho que podemos proporcionar a um animal tão especial quanto o cavalo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário