7 de outubro de 2011

Casqueamento e Ferrageamento



Cada cavalo é um indivíduo que tem sua própria conformação a ser atendida ou melhorada. Quando o cavalo tem seus cascos aparados e ferrageados de forma correta, ele apresenta o melhor de seu desempenho.
Para isso a revisão dos cascos para casqueamento e ferrageamento deve ser feita a cada 4 ou 6 semanas. Intervalos menores se fazem necessários nos casos mais severos. A limpeza do casco deve ser feita de 2 em 2 dias a fim de tirar os detritos que se acumulam retendo umidade.
O processo de casqueamento e o subseqüente ferrageamento compreendem funções bastante difíceis. As várias particularidades morfológicas existentes entre os cascos dos diferentes membros permitem concluir que uma simples alteração das proporções numa das metades do casco é suficiente para causar a perda do balanceamento e desencadear problemas morfomecânicos com sérias repercussões nos tecidos internos do órgão distal.
A função do casco é amortecer e igualar as forças tridimensionais que ocorrem entre o casco e o solo. Quando essas forças não forem uniformes o suprimento sangüíneo estará comprometido e um remodelamento da falange distal acontecerá, bem como uma distorção na simetria do casco. Teoricamente o casco irá crescer simetricamente quando o peso for distribuído igualmente sobre si.
A parede do casco cresce cerca de 8 mm por mês, sendo uniforme em todo o seu contorno. O desgaste somente será em desnível quando existirem alterações morfológicas profundas. A sola e a ranilha tendem a crescerem mais devagar comparadas à parede do casco. Fraturas na área da pinça e rachaduras que atingem a transição da camada média com a profunda são os danos mais freqüentes nos casos de cascos muitos crescidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário