4 de janeiro de 2013

Síndrome de West


Olá, amigos! A partir de hoje vamos entender um pouco mais sobre algumas patologias que influenciam no desenvolvimento das crianças e que com ajuda da equoterapia é possível vencer um pouquinho das dificuldades cotidianas.

que é?
A síndrome de West é uma forma grave de epilepsia em crianças. Recebe o nome em homenagem ao médico inglês William James West (1793-1848), que foi quem primeiro descreveu a síndrome em 1841.
É relacionada com a idade, geralmente ocorrendo entre o terceiro e décimo segundo mês, geralmente se manifestando no quinto mês. Possui diversas causas, sendo geralmente causada por disfunções orgânicas do cérebro cujas origens podem ser pré-natais, perinatais (causadas durante o nascimento) ou pós-natais.
A sua prevalência é de cerca de 1 em cada 4000 ou 6000 nascimentos. Estatisticamente os meninos são mais afetados que as meninas, numa taxa de dois meninos para cada menina.

Classificação
A Síndrome de West pode ser dividida em dois grupos, com relação à causa: o criptogênio (quando a causa é desconhecida), onde o lactente é normal até os inícios dos espasmos, sem qualquer lesão cerebral detectável; e o grupo sintomático (de causa conhecida), onde há prévio desenvolvimento neuropsicomotor anormal, alterações ao exame neurológico e/ou lesões cerebrais identificadas por exames de imagem (tomografia computadorizada, ressonância magnética, etc). Em 1991, foi proposta a hipótese da existência de uma forma idiopática, com evolução benigna no tratamento em curto prazo.


Atriz Isabel Fillardis (39) com o filho Jamal (9), portador da Síndrome de West.
Sintomas
A Síndrome de West é caracterizada por sinais clínicos e em exames de eletroencefalografia, atraso do desenvolvimento neuropsicomotor e espasmos.

Tratamento
O tratamento é multiprofissional. É necessário, além do tratamento medicamentoso (inicialmente feito com ACTH), o acompanhamento com fonoaudiólogos e fisioterapeutas, afim de que as sequelas do atraso do desenvolvimento neurológico bem como as físicas, sejam diminuídas ao máximo possível. Outro objetivo é tentar-se evitar as deformidades que surgem ou amenizá-las, fazendo-se mobilização passiva e alongamentos. Devido a hipotonia é preciso que se fortaleça os músculos responsáveis pela respiração. 


Fonte: Wikipédia

Um comentário:

  1. Olá postei suas informações a respeito no meu blog, onde também tenho falado sobre a Síndrome de West, considerando a nossa historia, pois minha filha Anne Gabrielly possui esse diagnostico e gostaria de dividir essa historia de busca e desafios que iremos vencer, pois quero muito poder ajudar minha filha.

    ResponderExcluir