22 de abril de 2013

'Mude seu falar que eu mudo o meu ouvir'

Divulgação Carpe Diem
Olá, pessoal!

No último sábado pela manhã, ouvi falar de um projeto super bacana voltado para a inclusão de pessoas com Síndrome de Down, a Associação Carpe Diem. Seis amigos dessa associação se uniram e criaram o primeiro livro sobre acessibilidade e comunicação escrito por pessoas com deficiência intelectual "Mude seu falar que eu mudo meu ouvir".

Ana, Carolina, Beatriz, Cláudio, Carol e Thiago têm Síndrome de Down, mas nunca deixaram que este fato se tornasse um obstáculo. E com o suporte da psicóloga Carolina Yuki Fujihira formataram o manual este manual que foi lançado na Conferência da ONU em 2012, em Nova York.


Idealizada pela Associação Carpe Diem e lançada em 2011, a edição aborda questões relacionadas ao cotidiano de pessoas com deficiência, provocando a ideia de que todos são capazes de realizarem qualquer atividade.

Para que o jovem com trissomia 21 seja visto socialmente é preciso que a própria comunidade reveja seus hábitos. Uma das principais constatações do manual é que é necessário adaptar a comunicação e que o uso de imagens é um grande facilitador. 

“Foi um momento muito emocionante, é uma conquista muito grande! Estávamos todos lá, com representantes de vários países, foi uma experiência muito rica”, conta Carol Maia de 25 anos que divide seu tempo entre minicursos profissionalizantes (informática, gestão de negócios, etc) e o estágio em uma biblioteca. 
“Tenho o maior orgulho de ter ajudado a escrever o manual, é uma maneira de quebrarmos as barreiras e pedir para que cada um abra seu coração para as diferenças. Saio com meus amigos, viajo, estudo, trabalho... Nós que temos Síndrome de Down somos capazes de tudo”, completou.

(com informações Programa Globo Universidade)

Nenhum comentário:

Postar um comentário