8 de junho de 2015

Autista, garoto de 11 anos se supera e vira atração no rodeio

Um dos momentos mais marcantes da 29ª Festa do Peão de Americana até agora foi a apresentação de três tambores do jovem João Mario Aoqui, 11, de Santa Bárbara d'Oeste.
Aos 5 anos de idade, João foi diagnosticado com bipolaridade e, aos 10, com autismo. A mãe, Adriana Teresa Ricardo Aoqui, 45, contou que recorrer à equoterapia foi uma das últimas alternativas que a família teve.
"O diagnóstico era bem grave e o médico disse que ou ele ficava trancado em um quarto ou internado em um hospital psiquiátrico. Cerca de três meses depois de começar a equoterapia, ele já tinha melhorado muito. Começamos a sair e ir ao shopping, coisa que antes não era possível", lembrou Adriana.
De acordo com a treinadora Francini Baldo, 29, que trabalha com João desde o final de 2013, a equoterapia foi fundamental no desenvolvimento do menino. "O contato com os cavalos traz muitos benefícios, pois trabalha o equilíbrio físico e emocional. Isso fez com que ele passasse a socializar muito melhor, e a se sentir bem em situações que antes seriam impossíveis, como estar no meio dessa festa gigantesca", explicou.
Atualmente, João compete em diversos rodeios pelo País, incluindo Barretos.
"Mesmo contra meninos sem nenhuma deficiência, ele se sai muito bem. Nossa ideia é trabalhar para, futuramente, ter uma categoria para crianças com deficiência, pois elas são totalmente capazes, assim como o João", afirmou a treinadora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário