5 de setembro de 2016


A Equoterapia é uma modalidade terapêutica, realizada junto com cavalos reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina, destinada a crianças e adultos portadores de alguns diagnósticos, do mais leve, moderado ou severo. Sejam elas físicos, intelectuais ou mentais, onde o cavalo age como meio e maior facilitador através dos movimentos do andar do cavalo que se chama andadura, proporcionando a reabilitação, com ganho de força muscular, equilíbrio, melhora na postura, coordenação motora, autoconfiança, autoestima, entre outros. É o chamado movimento tridimensional, onde ocorrem movimentos do cavalo chamados latero-laterais, ântero-posteriores e cefálio-caudal. O cavalo realiza movimentos de rotações para dissociação de cinturas escapular e pélvica, inclinações de tronco para transferência de peso. Essas oscilações ocorrem no mesmo plano que do ser humano e são interpretados pelos canais semicirculares do aparelho vestibular como movimentos fisiológicos.
A Equoterapia vem se desenvolvendo nos últimos anos, por atuar com uma equipe multidisciplinar, onde o indispensável acompanhamento do psicólogo junto a orientação familiar e educacional e do fisioterapeuta, que também possui papel importante junto ao tratamento, estudos realizados na área têm se mostrado satisfatórios em pacientes de síndromes neurológicas, principalmente no que diz respeito à reabilitação de pacientes com síndromes como a Síndrome de Down.
Existem várias pesquisas no que diz respeito equoterapia, ao movimento do dorso do cavalo e as suas consequências do que diz respeito ao seu praticante/cavaleiro/amazona.
Uma destas consequências é o ajuste tônico, pois o cavalo é um animal que sempre está em movimento, sua própria respiração, faz um grande movimento, principalmente, pelo tamanho dele, portanto, nunca está totalmente parado, ocorre troca de patas, movimentos do pescoço, o abanar do rabo, com isso, impõem ao praticante/cavaleiro/amazona, um ajuste em todo seu comportamento muscular e postural, a fim de responder ao desequilíbrio provocado por esses movimentos. Esse ajuste tônico ritmado, isto é, essa postura,  ocasionando pelo passo do cavalo, proporcionando mobilização ósteo-articulares que facilitam um grande número de informações proprioceptivas, isto é, melhoras em nível intelectual, sensorial, postural, etc… exigindo do praticante/cavaleiro/ amazona contração e relaxamento simultâneos dos músculos chamados agonistas e antagonistas.
Os principais benefícios da Equoterapia são: melhora do equilíbrio e postura; portanto autoconfiança e autoestima, levando a melhora, principalmente, da atenção, e mais  desenvolve a modulação tônica e estimula a força muscular;  desenvolvendo ainda a coordenação de movimentos entre o tronco, andar, membros e visão; promove a organização e a consciência corporal; estimula a sensibilidade tátil, auditiva, visual e olfativa; oferece sensação de ritmo; desenvolve a coordenação motora ampla e fina; aumento da autoestima, facilitando a integração social; em consequência estes têm um melhor desempenho e qualidade de vida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário